Veterinária Antonella Cordi alerta para uso de vacina indicadas para animais

A fim de evitar coronaviroses em animais, vacinas são desenvolvidas para uso exclusivo

Por Redação em Saúde

02/04/2020 14:13 - Atualizada em 29/04/2020 14:19

Veterinária Antonella Cordi alerta para uso de vacina indicadas para animais

Para as coronaviroses que acometem animais, a Medicina Veterinária desenvolveu vacinas de uso exclusivo

No final do mês de março, viralizou nas redes sociais vídeos mostrando que já existe vacina para combater o coronavírus. A vacina, no entanto, é exclusiva no mercado para cães, gatos, bovinos e aves.  Na filmagem, o autor afirma que o coronavírus existe há muito tempo e que a pandemia seria uma “invenção” dos chineses para impulsionar o crescimento da economia, gerando o terror entre outros países.

A veterinária Antonella Cordi explica que o vídeo que circula na internet propaga mentiras sobre o vírus. Até o Ministério da Agricultura (MAPA) emitiu um alerta na terça-feira (24), informando que as vacinas registradas na pasta para uso contra coronaviroses são "exclusivamente" para uso em animais e que "Jamais devem ser utilizadas em humanos". "Ressaltamos ainda que os agentes responsáveis pelas doenças nos animais são muito diferentes do coronavírus responsável pela Covid-19”, reforça a nota.

Conforme explicou Antonella, o coronavírus é um "velho conhecido" da Medicina Veterinária sendo que em cães existem dois tipos: o entérico CCoV (que causa um quadro semelhante ao de uma parvovirose fraca) e o pulmonar CRCoV, com quadros de comprometimento respiratório. Além disso, existem o coronavírus felino (FCoV) que causa uma doença chamada Peritonite Infecciosa Felina (PIF), com quadro infeccioso grave. Para esses tipos de coronavirose e espécies-alvo, a Medicina Veterinária desenvolveu vacinas de uso exclusivo, que jamais devem ser utilizadas em humanos, sob o risco de reações graves e efeitos colaterais severos, segundo já alertou o MAPA.

Segundo a veterinária, o novo vírus pode infectar outras espécies como aconteceu em um cãozinho na China que foi infectado por corona de sua dona, porém, os animais não apresentam sinais clínicos e nem transmitem o Covid-19 porque são considerados hospedeiros acidentais. O problema é que o vírus possui capacidade de mutação e por isso adaptação em outras espécies, como está acontecendo nos humanos, com a descoberta do Covid-19.

“Existem diversas espécies de animais que são acometidas por coronavírus, porém, o tipo de corona que acomete o cão, é diferente do que acomete o gato, diferente do que acomete os bovinos, suínos, morcegos, etc. Como o coronavírus é um RNA vírus, possui capacidade de mutação, pode haver uma mutação de adaptação em outras espécies. Isso é raro, mas aconteceu na China devido à ingestão por um humano de morcego com o vírus, chamado de Covid-19”, esclareceu a veterinária.

Conforme a médica, os cuidados que estamos adotando com humanos, também devem ser estendidos para os pets, tendo em vista que pouco se sabe sobre essa nova doença. “Boletins como o da World Small Animal Veterinary Association (WSAVA) esclarecem que, não conhecemos ainda muito bem o Covid-19, o vírus de morcego que está se adaptando à espécie humana. Por isso, quem for positivo para Covid-19 deve manter-se isolado, e isso vale para o cuidado com seu pet também”, disse.

Notícias Relacionadas

Folha Independente

Empresa Jornalística
Planalto Sul Ltda. ME

Folha Independente © 2020 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por AVB Digital