Vereadores de Campos Novos cogitam redução de 50% dos salários dos agentes políticos

A redução tem grande apelo da população, que deseja que os salários dos políticos sofram redução

Por Redação em Política

22/05/2020 12:24

Vereadores de Campos Novos cogitam redução de 50% dos salários dos agentes políticos

Pelas informações de bastidor, ganha força a corrente que defende a redução de 50% dos salários dos vereadores, prefeito e secretários municipais

Os salários dos vereadores, prefeito e vice-prefeito e secretários municipais poderão ser reduzidos pela metade a partir de 2021 em Campos Novos. Os vereadores, em reuniões informais, estão começando as discussões sobre a fixação dos subsídios dos agentes políticos para o período de 2021 a 2024.

Pelas informações de bastidor, ganha força a corrente que defende a redução de 50% dos salários dos vereadores, prefeito e secretários municipais, além da equiparação do salário do vice-prefeito ao de vereador, iniciativa encabeçada pelo vereador Irineu Armando Osório Júnior (PP), Piratuba Júnior, que conta com a simpatia de outros vereadores do MDB e PP. Mas uma outra proposta ainda mais radical defende uma redução geral de 70%, de iniciativa de Marciano Dalmolin (PSD).

Os vereadores disseram que as discussões ainda são precoces e que devem elaborar uma proposta definitiva ainda nesse semestre. Também estudam a viabilidade de acordo com as regras constitucionais. Uma reunião ocorreu ontem a tarde (21) e outra deve ocorrer hoje a tarde (22). Pretensos candidatos às eleições municipais desse ano são contrários, sob justificativa que os valores tão baixos inviabilizariam a própria campanha política. Mas esquecem que a redução tem grande apelo da população, que deseja que os salários dos políticos sofram redução.

A afixação dos subsídios dos agentes políticos é uma prerrogativa da Câmara de Vereadores e pelas regras constitucionais, um projeto de lei precisa ser votado no fim no último ano de mandato para o subsequente. Pelas regras definidas no Tribunal de Contas de Santa Catarina, é necessária a sanção do Prefeito Municipal. Se não apresentarem ou votarem um PL sobre o tema até as eleições municipais, a próxima legislatura contará com os mesmos subsídios atuais.

Se a proposta de redução dos 50% se concretizar, o próximo prefeito passaria dos atuais R$ R$ 21.002,62 para R$ 10.501,31. Vereadores de R$ 7.350,92 para R$ 3.675,46, incidindo também no valor percebido pelo vice, hoje em R$ 9.567,86. Os secretários municipais passariam de R$ 9.256,70 para R$ 4.628,35.

Notícias Relacionadas

Folha Independente

Empresa Jornalística
Planalto Sul Ltda. ME

Folha Independente © 2020 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por AVB Digital