Um Nobel para Trump em uma distopia perfeita

Por Arthur Otto Niebuhr, servidor público na Justiça Eleitoral

Por Redação em Vozes

14/09/2020 11:08

O mendigo, na sua mendicância, pode ter o orgulho de um nobre.
O vil metal é um covil fatal.
Quem muito prega moralidade em praça pública, por vezes, deixa de vivê-la no cotidiano do seu lar.
Uma boa música acalma as letras.
Esses jogos sem torcida têm revelado o nível cultural dos nossos treinadores.
Assisti novamente ao lindo “A Rosa Púrpura do Cairo”. Quanta genialidade em um filme só ...
Saudades das discussões entre Juarez Soares e Silvio Luis, nas mesas redondas improvisadas da Band.
Profissionalizou-se o amadorismo.
E o que achamos daqueles mandatários que nomearam os mesmos secretários dos governos pretéritos? Nova política?
Será que o Weintraub usa máscara, nos salões da Europa?
Volta para as narrações de Fórmula 1, Galvão ...
Um bom samba sempre nos faz pensar que, se tudo rimar, a vida pode dar certo.
E quem não tem Luxemburgo vai com Coelho mesmo. Vida que segue.
Esses jogos sem torcida têm revelado o nível cultural dos nossos treinadores.
Assisti novamente ao lindo “A Rosa Púrpura do Cairo”. Quanta genialidade em um filme só ...
Saudades das discussões entre Juarez Soares e Silvio Luis, nas mesas redondas improvisadas da Band.
Profissionalizou-se o amadorismo.
E o que achamos daqueles mandatários que nomearam os mesmos secretários dos governos pretéritos? Nova política?
Será que o Weintraub usa máscara, nos salões da Europa?
Volta para as narrações de Fórmula 1, Galvão ...
Um bom samba sempre nos faz pensar que, se tudo rimar, a vida pode dar certo.
E quem não tem Luxemburgo vai com Coelho mesmo. Vida que segue.

Um Nobel para Trump em uma distopia perfeita

Arthur Otto Niebuhr é servidor público, trabalha na 7ª Zona Eleitoral de Campos Novos

Folha Independente

Empresa Jornalística
Planalto Sul Ltda. ME

Folha Independente © 2020 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por AVB Digital