População é chamada a fazer o descarte correto dos resíduos gerados

O projeto Campos Novos Sustentável precisa que sociedade seja colaborativa

Por Redação em Cidades

05/05/2020 14:04

População é chamada a fazer o descarte correto dos resíduos gerados

PEV instalado na Secretaria de Obras no Bairro Santo Antônio

A sociedade camponovense está sendo chamada a repensar atitudes com relação ao meio ambiente, especialmente quanto a responsabilidade dos resíduos gerados em suas propriedades. A Prefeitura de Campos Novos lançou em abril o programa Cidade Limpa, que consiste na distribuição de 20 caçambas para que a população faça o depósito de podas de árvores e restos de vegetações, madeiras, pilhas e baterias, recicláveis como papel e plásticos e resíduos volumosos como móveis inservíveis.

Os resíduos que não serão recebidos, são plásticos metalizados como de salgadinhos, embalagens longa vida, lixo eletrônico, pneus e demais borrachas, vidros, orgânicos, materiais infecciosos como papal higiênico, fraldas, seringas, animais mortos, óleo lubrificante, aerossol, lâmpadas, gesso, cartuchos de tinta, entre outros. O objetivo da Prefeitura é deixar os depósitos móveis de três a quatro dias em cada bairro, em forma de rodízio, contando com apoio logístico de um caminhão adquirido para esse fim e divulgação por meio de carro de som.

O Cidade Limpa faz parte de um projeto maior, o Campos Novos Sustentável, com um cronograma de ações já em andamento e uma série de outras que vão ser desenvolvidas nesse ano, visando implementar o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos dos Municípios da Amplasc (PGIRS), lei em Campos Novos desde 2013, mas pouco aplicada até o momento. Fazem parte desse projeto, a instalação de ecopontos nas escolas municipais e a construção da central de compostagem, cujas ações devem ser entregues ainda neste semestre à sociedade.

O Programa trará soluções para o gerenciamento de resíduos sólidos urbanos, visando o aproveitamento via reciclagem de diversos tipos de resíduos e gerando apenas uma quantidade mínima de rejeito. A Central de Compostagem, que fará a transformação dos resíduos orgânicos em adubo está sendo construída no Loteamento Faedo. Conforme o secretário, a prefeitura disponibilizará coletores de orgânicos em locais com maior fluxo de geração como condomínios, restaurantes, padarias e pontos estratégicos nos bairros, além da entrega voluntária dos moradores na própria central.

A prefeitura também adquiriu 10 contêineres, que estão em fase de transformação em pontos de entrega voluntária (PEVs) de resíduos sólidos ou ecopontos, onde poderão ser destinados 11 tipos diferentes de resíduos urbanos, desde lixo eletrônico e resíduos secos. Por meio de um projeto educacional com os alunos e comunidades a ser desenvolvido numa parceria com a Secretaria de Educação, os recursos gerados com a comercialização dos resíduos recicláveis ficarão para as APPs das escolas.

Os PEVS serão instalados nas escolas municipais e devem seguir a seguinte ordem: CAIC- Nair Gris, Santa Júlia, Valdemar Rupp, Sonho infantil, Jardim Bela Vista, Caio Pisani, Eliete Teixeira Lopes, Marilene Rupp Bagatini, À Caminho do Futuro e André Rebouças na Barra do Leão. Cada ecoponto, terá aberturas para separação individual de cada tipo de resíduo, com aberturas voltadas tanto para a rua quanto para as escolas, integrando comunidades e escolas num objetivo comum. Os materiais deverão ser entregues separados e limpos.

Mas para que isso aconteça, o desafio é a conscientização da população, já que a separação dos resíduos e entrega será uma reponsabilidade da ponta geradora. “Esse não é um projeto da prefeitura, mas de toda cidade. São mais de R$ 2,5 milhões por ano gastos com coleta e destinação do lixo, mas se houver a colaboração, parte desse dinheiro pode ser direcionado para outras áreas que beneficiarão a população”, explicou o secretário Vilmar Ferrão.

Hoje há um PEV instalado na Secretaria de Obras no Bairro Santo Antônio, onde a população pode deixar alguns tipos de resíduos, como eletrônicos, pneus e borrachas, pilhas, baterias e lâmpadas. A Secretaria também realiza a separação e destinação de podas de árvores e móveis inservíveis recolhidos pela equipe de limpeza pública, com apoio dos apenados da Unidade Prisional Avançada (UPA). O SAMAE também recebe resíduos de óleos de cozinha em troca de sabão e os medicamentos vencidos, podem ser entregues em qualquer farmácia. Quanto aos entulhos de construção, um projeto de lei ser enviado em breve a Câmara de Vereadores visando regulamentar a matéria em nível municipal. 

Notícias Relacionadas

Folha Independente

Empresa Jornalística
Planalto Sul Ltda. ME

Folha Independente © 2020 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por AVB Digital