Não é mais uma do Rudi e do Willi

Por Arthur Otto Niebuhr, servidor público na Justiça Eleitoral

Por Redação em Vozes

10/08/2020 11:51

Enquanto isso, em determinado Vale...

— Bom dia, Doutor.

— Bom dia. O que vai ser hoje?

— O que o senhor tem?

— Temos ozônio com cobertura dupla de cânfora. E também florais com vermicida.

— E mata o bichinho?

— A ideia é iniciar um processo de convencimento.

— Como assim?

— Vírus dessa espécie são muito resilientes. Não saem à força, só porque o médico mandou. Não adianta vir com Oficial de Justiça ou decisão monocrática do STF. Tem que mostrar alguma vantagem para ele, uma saída. Um outro hospedeiro, por exemplo.

— Mas por que não matam o negócio?

— Matar, matar. Você viu onde nós chegamos com tanta violência, com a legalização das armas?

— Mas ele é mortal.

— Sim, ele está carregado de ressentimento, de energias negativas. Inclusive porque ele veio da China, um país com um histórico de repressão muito forte.

— Mas agora está no Brasil.

— Olhe só: hoje de tarde, vamos tentar fazer uma constelação familiar. Costuma ser muito impactante.

— Eu não acredito nisso.

— Nem eu acredito, muitas vezes. Como evoluiu a ciência, não é?

— Parece que estamos num episódio de “Além da Imaginação”.

— Já dizia John Lennon: imagine all the people …

— Sei, sei.

— Mas, já que está aqui, por que não escolhe um tratamento?

— Bem, como é aplicado esse tal de ozônio?

— Então...         

 

 

Não é mais uma do Rudi e do Willi

Arthur Otto Niebuhr é servidor público, trabalha na 7ª Zona Eleitoral de Campos Novos

Folha Independente

Empresa Jornalística
Planalto Sul Ltda. ME

Folha Independente © 2020 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por AVB Digital