Capela Santa Terezinha é redeclarada patrimônio histórico de Campos Novos

Projeto de lei de autoria do vereador Antônio Rosa volta ao rol dos bens históricos de Campos Novos

Por Redação em Geral

19/11/2020 11:43

Capela Santa Terezinha é redeclarada patrimônio histórico de Campos Novos

A Capela Santa Terezinha do Distrito de Bela Vista foi retombada como patrimônio histórico do município de Campos Novos. Na terça-feira (17), por meio de projeto de lei de autoria do vereador Antônio Rosa (PT) aprovado por unanimidade dos vereadores, a capela voltou a ser declarada patrimônio histórico, tendo como objetivo, a manutenção de suas características arquitetônicas originais.

Conforme Antônio Rosa, a partir da lei aprovada, o objetivo é angariar recursos públicos, seja de emendas parlamentares ou da prefeitura, para restauração da capela. “A partir do tombamento, já estamos em busca de recursos para as obras de manutenção da estrutura original. Na audiência pública realizada em fevereiro, o próprio prefeito se comprometeu em ajudar, então estaremos levando a ele nosso projeto. Na Bela Vista, a torre está bem comprometida e precisa urgentemente de intervenção”, explicou Antônio Rosa.

A declaração da Capela Senhor Bom Jesus do Espinilho, que também já esteve no rol dos monumentos históricos municipais, a própria comunidade pediu para não tombar tendo em vista que a construção está muito comprometida, disse o vereador. As duas igrejas são de madeira de Araucária, construídas na época do ciclo madeireiro camponovense e com alto valor imaterial e histórico para Campos Novos. “Conversamos com a comunidade, mas a estrutura está muito comprometida e a comunidade quer reconstruir a igreja em miniatura, pois não tem mais concerto”, explicou Antônio Rosa.

Retombamento

As duas igrejas foram tombadas em 2003, por meio de projeto de lei do ex-vereador Jacyr Werle. A lei só existiu no papel, pois as consequências desse ato, a preservação física dos monumentos nunca se concretizou. A historiadora Enedy Padilha da Rosa, que trabalhava na época na Fundação Cultural e assessorou o vereador Jacyr Werle na criação da lei, afirmou que a proposta não era simplesmente o tombamento das igrejas, mas a criação de uma política de preservação e a busca de recursos públicos e privados para a manutenção dos monumentos, algo que não teve prosseguimento.

Em 2014, a lei foi revogada por meio de projeto de lei do Poder Executivo, a lei do destombamento. A justificativa na época era possibilitar a reforma das capelas pelas próprias comunidades, já que tombada como patrimônio histórico do município, era possível apenas a restauração, envolvendo mão de obra especializada e maior volume de recursos. A prefeitura na época, sem uma política de preservação do patrimônio, alegava que não conseguia liberar recursos para a intervenção em propriedade privada.

“Nós da Bela Vista pedimos o destombamento para reformar, pois a prefeitura dizia na época que não podia restaurar e que nós não podíamos mexer. A capela ia cair, estava muito deteriorada”, disse Marisa Trevisol, moradora do Distrito da Bela Vista na audiência pública realizada em fevereiro desse ano pela Fundação Cultural Camponovense e pelo vereador Antônio Rosa.

Capela Santa Terezinha é redeclarada patrimônio histórico de Campos NovosCapela do Espinilho não foi tombada devido aos agravos na estrutura. Fotos: Prefeitura Municipal 

 

Notícias Relacionadas

Folha Independente

Empresa Jornalística
Planalto Sul Ltda. ME

Folha Independente © 2020 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por AVB Digital