CDL/CN divulga pesquisa sobre os impactos da pandemia no comércio

Dados revelam que 100% do empresariado de Campos Novos sofreu perdas econômicas pelas medidas restritivas

Por Redação em Economia

27/04/2020 15:59

CDL/CN divulga pesquisa sobre os impactos da pandemia no comércio

Comércio de rua voltou a funcionar a partir de 13 de abril, após 27 dias fechado

 

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Campos Novos, divulgou na segunda-feira (27/04), os resultados de um levantamento realizado entre seus associados que apresenta o impacto econômico da pandemia do coronavírus, abordando questões relativas ao quadro de funcionários, faturamento, expectativas, soluções econômicas e outros temas. Os 27 dias de fechamento do comércio de rua, teve impacto negativo resultando em dificuldades financeiras do setor, bem como culminando em demissões e fechamento de empresas.

O levantamento foi realizado entre 14 e 17 de abril, com 63 lojistas associados à CDL, de diversos setores, como confecções, calçados, materiais de construção, serviços e indústria. Dos entrevistados em Campos Novos, 100% revelaram que tiveram perdas financeiras no faturamento e a maioria (40,2%), perderam mais de 50% do faturamento normal. O levantamento indicou que 19% dos lojistas entrevistados já realizaram alguma demissão. Para 39,7% dos empresários consultados existe a previsão de reduzir ainda mais o número de empregados nos próximos 90 dias e nenhuma tem pretensão de admitir novos cobaloradores.

Em relação ao futuro de seus negócios 41,3% estimam queda no faturamento entre R$ 10 mil a R$ 100 mil nos próximos três meses, enquanto 17,5% apontam entre R$ 100 mil a R$ 300 mil. As estimativas de perdas de faturamento nos próximos três meses variam no montante de R$ 2,1 milhões a R$ 6,6 milhões entre as empresas respondentes. Nas condições restritivas, 41,3% das empresas garantem manter-se por até três meses, enquanto 23,8% por apenas um mês. Para manter suas atividades ativas, a maioria (57,1%), disseram que vão recorrer a empréstimos bancários e que a retomada da economia deve demorar um ano para estabilizar (82,5%).

A pesquisa foi uma iniciativa da Federação de CDLs (FCDL), que divulgou os dados em nível estadual, com sondagem total 2.179 empresas, de pequeno, médio e grande porte. 72,3% das empresas disseram que tiveram perdas econômicas no Estado e 76,1% ainda não fizeram demissões, além de que 61,5% afirmaram que não devem demitir nos próximos três meses. A maioria (59,7%), diz que pretende recorrer a empréstimos e 81,6% acreditam que demora um ano para que a economia brasileira volte a crescer.

“Os vários dias de fechamento teve grande impacto negativo resultando em dificuldades financeiras do setor, bem como culminando em demissões e fechamento de empresas. Mesmo com a reabertura gradativa e, com algumas medidas restritivas necessárias, a retomada ainda não surtiu efeitos em alguns segmentos do nosso comércio. As pessoas ainda estão bastante assustadas e muitos ainda permanecendo em isolamento, reduzindo circulação e consumo”, explicou o presidente da CDL Campos Novos, Altair Granzoto.

Como alternativa para reduzir esse impacto na economia, Granzoto afirmou que estão em andamento campanhas para incentivar o comércio. “A CDL Campos Novos está investindo em campanhas para fortalecimento do comércio local, estimulando a população consumir em nosso comércio e a preferência por produtos de fabricação nacional. O comércio está fazendo sua parte, buscando alternativas para continuar atendendo seus clientes, seja com atendimentos por redes sociais ou nos estabelecimentos seguindo os protocolos de higiene e orientações dos órgãos de saúde”, disse.

 

Notícias Relacionadas

Folha Independente

Empresa Jornalística
Planalto Sul Ltda. ME

Folha Independente © 2020 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por AVB Digital